sexta-feira, 1 de maio de 2009

DIGA NÃO A MASTURBAÇÃO INFANTIL!!!


O toque da criança a sua genitária pode começar a ocorrer quando a criança não usa mais a fralda e fica mais facil ao acesso, a qual antes era limitada devido as fraldas. Este período pode iniciar entre os 2 anos e meio a 3 anos. Neste período a criança não está pronta para nenhuma estimulação sexual, pois ainda não sabe o que é e há o perigo ocorrer abusos sexuais. A própria criança pode acabar tocando em outra criança devido ao estimulo ou um adulto abusador (pedófilo) pode se aproveitar destas circunstâncias. Como a criança é inocente, ela não sabe porque a sensação é boa e ela pode acabar compartilhando com algum adulto abusador sobre isso ou tocando alguma outra criança para mostrar o que ela está querendo dizer.
Não concordo com o incentivo de pais ou professores a este tipo de estimulo nas crianças, sendo que nesta idade ela deve ser estimulada a atividades de desenvolvimento. Caso a criança precise de ajuda para aliviar stress, irritabilidade ou sentimentos de tristeza há meios mais seguros de tratar dessas situações. Muitos adultos que foram abusados compartilham que além de sentirem odio dos abusadores grande parte sentem raiva ou odio dos pais porque eles não preveniram, não cuidaram e nem instruiram sobre esse assunto. Se sem o incentivo da masturbação infantil há casos de abusos sexuais, imagine com o incentivo dos pais!!!
Creio que é mais facil para alguns a criança aprender a "se virar" sozinha do que os pais tratarem dos sentimentos e situações que a criança esteja passando, pois dá trabalho e requer tempo. Uma forma de lidar com esta situação é atrair a atenção da criança para outra atividade e informar a ela que não tocamos no orgão genital publicamente. Explicar que tocamos somente quando vamos ao banheiro ou quando tomamos banho e precisamos nos lavar. É necessário passar essas informações com segurança e sem espanto, pois assim a criança terá tranquilidade para sempre perguntar e pedir a ajuda dos pais para estas situações.
Atenção Pais!!!!! Falem, conversem com seus filhos sobre isso!!!!

28 comentários:

  1. priscila zanardo1 de maio de 2009 20:40

    olá tamara sobre o assunto masturbação infantil eu concordo plenamente ,que uma criança que tem 2 ou 3 anos de idade não deve ser estimulada a ser tocadas ate mesmo crianças um pouco mais velhas não devem ser estimuladas a isso.. isso acabaria abrindo um larga porta para supostos abusos.

    ResponderExcluir
  2. Tamara, parabens. E isso ai, o melhor investimento que os pais podem fazer e nos proprios filhos. A tarefa de educar, dar limites e disciplina aos filhos e dos Pais. A responsabilidade nao é de professores, creches, babas ou avos, é dos Pais. O crescimento da delinquencia, drogas e violencia na sociedade e fruto da ausencia dos Pais, fruto de deseducadores que ensinam questoes como essa mencionada por voce. Fique firme e nao desanime. A verdade liberta.

    ResponderExcluir
  3. Primeiro quero lhe parabenizar pelo blog,ele é e será de grande ajuda aos educadores, professores e principalmente aos pais, que bom que Deus lhe deu este meio para dividir com pessoas que você nem imagina aquilo que o Senhor tem lhe dado.Através da sua vida tenho crescido principalmente como mãe na ardúa tarefa de educar como diz prov.29:17.
    Estou contigo, como mãe de duas meninas tenho o dever de ensiná-las para que serve sua genitália,é como fonte de prazer e na hora certa, como pais devemos saber que as crianças não nascem sabendo e meu dever é de ensiná-las a não se tocarem á não ser para se limparem.
    "Não a masturbação infantil", devemos deixar que nossos filhos vivam cada fase de sua vida com nosso esclarecimento e apoio não incentivando eles a algo que não estão prontos ainda.
    Beijos,Te amo muitooooooooooo!!!

    ResponderExcluir
  4. Pegue minha filha de 7 anos em cima da amigunha tentando beija-la na boca, mas antes disso ela tinha me pedidido p fechar a porta para o barulho da tv não incomodar.
    Vi muito silêncio e quando fui vê fiquei estarrecida, só perguntei a ela era para isso que vc queria fechar a porta? isso foi ontem a noite e agora de manhã vim dar uma olhada na internet para vê se achava palavras para mim e principlamente ajuda para como falar com ela hoje.

    ResponderExcluir
  5. Sempre leio que é normal se masturbar crianças de 2 anos em diante e fico sem entender, pois minha filha so tem 11 meses e não pode ver a gente deitado que se esfrega no braço da gente e sente prazer pois ate fecha os olhinhos, ate que ponto é normal

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente em não insentivarmos os nossos filhos a prática da masturbação...
    Mas mesmo não insentivando, minha filha de 5 anos já se masturbou com o lençol da cama.. já vi várias vezes e conversei com ela sobre, falei q não pode fazer isso, pois poderia maxuca-la, e expliquei q sua vagina era pra ser tocada qdo fosse lavada...
    Sou cristã e gostaria de saber como devo agir com a minha filha. Pq mesmo conversando com ela... ela não deixou de se masturbar.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Cleusa!

    Creio que antes de chegar a uma conclusão, é necessário avaliar algumas questões, como:
    1- Com quem sua filha fica normalmente? Se é com você, mais alguém se oferece para ficar com ela? O que é feito neste período que sua filha não está com você? Este é um tema serio, porém delicado. 2- Creio que além de avaliar isso, todas as vezes que ela começar a se esfregar, você pode atrair a atenção dela para outra atividade, como brincar, cantar e etc. Lembrando que é importante Sempre atrar a atenção dela de forma natural. É importante também que não haja ninguem que dê risada desta circunstancia quando ocorre, pois a criança pode ficar envergonhada por perceber que estão dando risada dela. Pois para um adulto isso pode até ser engraçado, mas não é!
    A criança nesta idade não está sexualmente, fisicamente e emocionalmente pronta para a estimulação sexual. Gostaria de indiciar um livro que me esclareceu muito: Lágrimas secretas - Autor: Dan B. Allender - Editora MC
    Indico este livro porque ele fala sobre a sexualidade na infancia e dependendo de como ela foi lidada há consequencias na vida adulta.
    Espero que tenha ajudado! E fique a vontade para escrever novamente.
    Um grande abraço,
    Tamara

    ResponderExcluir
  8. Minha filha tem 6 anos, procura sempre se isolar para sentar sobre a perna e se esfregar. É uma criança muito anciosa e me preocupa pois ela diz que tem muita coceira e depois sai um pouquinho de xixi, como devo proceder, pois fico nervosa e não sei como agir, pois é muito constante.

    ResponderExcluir
  9. Olá Carol,

    Obrigada por acessar meu blog!

    Educar filhos realmente requer muita disciplina e perseverança. Que bom que você já tem falado com sua filha, mas creio que talvez você tenha que continuar falando, instruindo e não desanimar ou abrir mão. Ela é uma criança e precisa ser intruida. Ela realmente não sabe o que está fazendo, simplesmente sabe que traz uma sensação gostosa. Creio que seria importante você conversar com ela fazendo algumas perguntas, como:
    1- Filha, quem mostrou a você que é gostoso ou bom fazer isso?
    2- Onde você viu?

    Creio que essas perguntas devem ser feitas em um horario propicio onde esteja você e ela. É importante também que você esteja pronta para ouvir qualquer coisa. Conforme sua filha responder, ela perceberá se sua reação foi brusca ou assustada. Digo as mamães de minha igreja que é importante elas reagirem de forma natural a respostas de seus filhos, assim eles não terão medo de compartilhar outras coisas. Digo a elas para prestarem atenção se abrem os olhos demais, ou dizem "Meus Deus" ou coisas do tipo sabe! Essas reações podem retrair a criança, pois elas percebem que fizeram algo errado mesmo sem saber o que.
    Você também pode explicar que nas nossas mãos é muito comum ter germes (bichinhos) e podem machucar a sua vagina, por isso não devemos colocar as mãos lá. Quando você ve-la se tocando tente atrair a atenção dela para algo interessante. Ore tambem, peça ao Senhor Jesus sabedoria nessas situações. Ele é o mais interessado em lhe ajudar!
    Continuo a sua disposição para lhe ajudar!
    Um grande beijo,

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    (resposta para anonimo que escreveu dia 6 de julho)

    Creio que é importante antes de tudo você verificar essa coceira a qual sua filha se queixa. Pode realmente estar irritando e por isso ela se esfrega. Há uma diferença quando a criança se toca para sentir "algo bom" ou quando algo a esta encomodando. É bom você verificar se não há nada inflamado ou algum tipo de alergia na vagina dela. Creio que além disso o mais importante é você leva-la a um pediatra para discartar a possibilidade ou não e assim medica-la. A criança normalmente não vai inventar uma dor ou coceira por um periodo longo, sendo que não seja verdade. Caso isso permaneça ai creio que você pode chama-la para conversar, conforme comentei com a nossa amiga Carol (comentario acima).
    Continuo a sua disposição para ajuda-la!

    Um grande beijo,

    ResponderExcluir
  11. Olá Tamara! Tenho um filho com quase 3 anos ontem me deparei com uma situação que, de certa forma, eu já estava desconfiando.... Eu estava lendo no quarto e ele na sala assistindo desenhos (ele não gosta muito de brincar sozinho então sempre que está em casa e não podemos ficar dando atenção a ele, ele fica assistindo). Quando me deparei que havia passado bastante tempo sem que ele viesse pedir algo, pensei que tinha dormido e fui verificar... Quando cheguei, mesmo apesar do frio intenso, ele havia tirado a roupa inferior e estava se tocando... não sei se posso chamar isso realmente de masturbação, mas enfim... Fiquei chocada! Mas tentei reagir de forma natural.... No mesmo dia, no final da tarde, me marido já tinha chego e estavamos justamente conversando sobre tal atitude dele, e quando percebemos, lá estava ele novamente, só que desta vez estava com um travesseiro por cima, pra tentar esconder a situação.... meu marido tbm foi e conversou normalmente.... perguntado pq ele estava sem roupa, que tava frio, que o papai e a mamãe não ficavam pelados pela casa.... etc.... mas este fato de ele querer esconder a situação mostra que ele já entende que esta fazendo algo errado.... Pelo menos é o que eu imagino.... Estou certa? Será que na primeira vez acabei "assustando" ele mesmo sem querer? É que sou evangélica e realmente vemos isso de certa forma como algo "negativo", mas tbm sabemos que faz parte do crescimento, mas a primeira impressão de choque pode ter influêncado?

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    (resposta para o anônimo que escreveu dia 19 de julho)

    Fico feliz que você escreveu. Obrigada por compartilhar!

    Talvez seu filho realmente estivesse se tocando por curiosidade. Isso é realmente comum nos pequeninos quando saem das fraldas, pois afinal seus orgãos genitais se tornaram novidade, pois estavam sempre cobertos pela fralda. Mas tudo que é novidade uma hora tende a perder a graça. Principalemnte se falando de crianças que são dinâmicas e visuais. A masturbação infantil é mais clara porque normalmente a criança tende a se esfregar em algo ou a se tocar continuamente. Creio querida que é bom continuar observando. Em Deuterônomio 6:7, Móises diz aos pais de como o trabalho de ensinar é árduo: "tu as inculcaras a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te." Isso quer dizer que como pais precisamos ser perserverantes e sei que dá trabalho. Com relação ao seu pequenino, continue observando e se perceber novamente, fale com ele, explique novamente. Sobre a forma como você reagiu pode ter influenciado ou não, não dá para ter certeza, mas se prepare para as proximas vezes. Peça ao Senhor sabedoria e graça. Ore por isso e peça ao Senhor que te prepare para outras circunstancias que virão na criação de seu filho. O Senhor Jesus é o mais interessado em lhe ajudar. Todos os recursos vem dEle e nós temos o privilegio de poder usá-los. Se preferir, escreva novamente falando como está seu filho e se realmente o comportamento dele parou ou se continuou. Estou disposta a ajuda-la se desejar!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Olá Tamara,
    Quero dar os PARABENS pelo BLOG!
    eu sei que ele alcançará muitas pessoas, hoje a sociedade tem impresso valores e habitos que mascaradamente tentam investir falsos valores nesta nova geração, estamos debaixo de falsas verdades que nos levam a valores liberalistas, e estimulos precipitados.
    A criança não tem a maldade do ato, de fato, mas o corpinho dela sem duvida alguma reage e sente, se hoje não tivermos o entendimento de que o estimulo precipitado os levará para lugares errados, amanhã pode ser muito tarde, e teremos amanhã uma geração que se relaciona sexualmente muito prematuramente, mais do que a de hoje, uma geração abusadad e que entenderá isso como normal...
    PRECISAMOS GRITAR HOJE
    "NÃO Á MASTURBAÇÃO INFANTIL"

    ResponderExcluir
  14. Tamara, há outras literaturas sobre esse assunto? Estamos enfrentando este problema em casa.

    ResponderExcluir
  15. Tamara...fiquei feliz em encontrar na internet um lugar que não estimule a pratica da masturbação infantil...
    Aos dois anos minha filha falou que sua prima de cinco havia beijado sua boca e "lambido" sua vagina..conversei com a mãe e ela não acreditou sem contar nos constrangimentos na família..Passou o tempo e quando ela tinha 5 e a prima 10 a historia se repetiu minha filha me contou chorando disse que sua prima a ameaçou que não seria mais sua amiga, ela a ama muito e é sua unica amiga e companhia...
    Novamente a mãe da criança não aceitou e não acreditou...
    Hoje minha filha tem 6 anos completa 7 em novembro, foi passar as ferias com sua avó paterna e ela( a avó) a surpreendeu se masturbando várias vezes e segundo a vó ela fez o mesmo que sua prima com uma outra criança de 5 anos...minha sogra foi bem dura comigo, me fez criticas severas...eu fiquei super constrangida e acima de tudo triste, pois ao contrario do que tenho lido eu não vejo com naturalidade ate porque nunca vivi isso.
    Não sei como lidar com isso pensei em procurar psicologos mas tive receio de me dizerem que é normal..estou afastada da igreja mas pensei em pedir ajuda a um pastor mas não frequento nenhuma igreja...
    Meu marido desde ontem quando ficamos sabendo esta grosso com ela a tratando com frieza..
    Eu conversei com ela e falei que não era coisa de criança que Jesus ficava triste e a orientei quando sentir vontade ela orar..
    Ela não negou a masturbação..ela sempre me contou tudo ate porque por mais dificil que seja a escuto com calma e de forma alguma bato...mas ela nega que fez isso com a criança..e sinceramente minha sogra gosta de deixar a historia mais chocante digamos assim e quando me contou havia bebido...fico em duvida..com todas as duvidas...e trite ate porque minha sogra chamou minha filha de dissimulada e fingida..e que se continuar assim com 10 anos vai estar gravida.. disse que minha filha esta viciada ,me recriminou como mãe...enfim estou triste e sem saber o que fazer.
    Estou gravida de tres meses do meu segundo filho e isso tem alterado minha filha que chora por tudo...
    Me ajude..obrigada.

    ResponderExcluir
  16. Olá querida, (para anônimo que escreveu dia 24 de julho de 2011)

    Obrigada por compartilhar! Imagino o quanto tem sido difícil para vocês nestes dias. Já orei por você e sua família.
    Gostaria de saber em que região você está do país. Se possível, me envie seu e-mail para conversarmos.
    Continuarei orando por você e sua família.
    Um grande abraço!
    Tamara

    ResponderExcluir
  17. olá amigas meu nome e gui
    tenho um problema bem parecido e até ler esses relatos me sentia a pessoa mais diferente do mundo, com uma filha que sentia prazer aos 5 anos ou seja já sente a mais de anos, gostaria de contar minha hist´ria e ouvir algmas opiniões e conselhos, obrigada

    ResponderExcluir
  18. ATÉ LER ESSES RELATOS ME SENTIA MUITO PERDIDA E DIFERENTE DE TODOS COM UMA FILHA QUE AOS 2 ANOS JÁ SENTIA PRAZER SE ESFREGANDO NAS COISAS E HJ COM 5 CONTINUA COM ESSE PROBLEMA, GOSTARIA DE PODER CONTAR MINHA HISTÓRIA E PODER OUVIR OPINIÕES E CONSELHOS OBRIGADA

    ResponderExcluir
  19. Olá Gui,

    Fico feliz que entrou em contato. Obrigada por querer compartilhar.

    É realmente normal encontrar pais que quando se deparam com essas situações se sentirem assim até porque grande parte das pessoas não tem uma opinião formada de como lidar ou também se encontram na mesma situação.
    Caso prefira você pode escrever por aqui mesmo e vamos conversando.
    Para comentar aqui, eles pedem que utilize uma das contas que eles dão como opção, caso não tenha você pode colocar como anonimo e somente assinar seu nome para que eu saiba que é você.
    Espero então seu próximo comentário.
    Um grande abraço,
    Tamara

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pelo blog, este tema é tão delicado,sou professora de ed. infantil e como vemos estas situações em sala que bom k podemos compartilhar como profissionais e pais cheios de dúvidas que somos,teu blog é lindo.Leticia-POA-RS

    ResponderExcluir
  21. Olá, tenho 20 anos e passei por essa situação de jogo sexual e masturbação na infancia. Muitas crianças, quase a maioria delas, passam por isso. Acredito que seja uma descoberta das crianças em relação ao seu próprio corpo, mas também acredito qeu os adultos devem orar pelos pequeninos e não os incentivar, mas também sem brigar com as crianças, pois são seres sem consciência e tomam esta atitude por inocência. Sou cristã e trabalho com ministerio infantil, amo as crianças, mas há pouco tempo, sofri muito, pois achava que tivesse sido uma criança anormal pelo fato de ter acontecido isso comigo. Aí, foi quando vi na internet tantos casos assim. Mas, apesrar disso, não quero que aconteça com as crianças. Também sou contra a masturbação na infancia, mas também sei que criança e criança e precisa do nosso amor e compreensão, por isso, deixo minha dica aos pais: não briguem ou batam nos seus filhos diante dessa situação, mas conversem e orem!!!

    ResponderExcluir
  22. Olá, Tamara. Parabéns pelo blog. Vim buscar sobre esse assunto, pois desde 1 ano de idade minha filha se masturba. Hoje ela tem quase sete anos, dos 4 para 5 anos ela passou por terapia e tinha eliminado esse comportamento. Neste ano, então com 6 anos de idade, voltou a apresentar o comportamento, e mais, agora está usando o dedo. Ela fala para mim que quer fazer isso, quer manipular a vagina. Eu pergunto se é por coceira, ela diz que não, que é porque é bom. Ela sabe que não pode. Falamos com ela que ela é muito nova para isso. Não sei mais o que dizer. Ontem o pai viu e ele, no calor do momento, bateu nela. Sinceramente, estou desesperada, não sei o que fazer. Vejo o sofrimento dela em não conseguir parar com isso. Eu sofri abuso quando criança, e meu medo de minha filha passar por isso é enorme. Não sei o que fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hellen,
      Obrigada por escrever!
      Imagino como deve estar seu coração como mãe e também devido a sua experiência de abuso quando criança. A masturbação infantil pode ser conseqüência de um abuso infantil realizado por um adulto ou não. Conheço e ajudo muitos casos em que as crianças realmente foram abusadas por adultos e foram estimuladas antes da hora, digo antes da hora, porque não é hora. As crianças biologicamente não estão preparadas para iniciar sua vida sexual e muito menos começar a serem estimuladas em seus orgãos sexuais. Mas também, conheço muitas histórias de crianças que aprenderam com outras crianças. E pode ser que as crianças que ensinaram, foram as que sofreram abuso sexual. É normal as crianças terem curiosidade pelo órgão sexual do outro gênero, principalmente se nasceram em um lar onde não tiveram irmãos de gênero diferente. Isso quer dizer, em um lar onde só nasceram meninas, é mais comum a menina ter curiosidade de ver o penis de um menino, por ela não ter um irmão e vice versa. Isso, digo na primeira infância. Quando as crianças saem do seu "mundo" após os 2 anos de idade, começam a interagir mais com outras crianças e normalmente também começam a deixar de usar fraldas e ai, começam a tem uma noção maior que elas tem penis ou vagina. Isso é comum nas escolinhas, entre primos, amiguinhos, enfim nos grupos onde elas interagem entre si. Até ai é tudo normal. Quando devemos ficar mais atentos? Quando a criança tem um comportamento repetitivo e compulsivo. Neste caso, é a história de sua filha, Hellen. Mas, sabe, tenho aprendido a cada dia que podemos resolver as situações com muito amor e pedindo sabedoria a Deus : )

      Não sei se você leu alguma resposta minha escrita aqui para outras mães e responsáveis, mas penso que antes de tudo. Fale com Deus, peça a Ele sabedoria e ajuda! Você sabia que Ele promete nos ajudar e consolar para podermos ajuda a outros? Isso está em um dos livros da Bíblia em II Coríntios 1:4 - Se for possível, dê uma olhada. Isso te ajudará em todas as situações e não somente nessa. Deus está sempre pronto a nos ajudar, somente precisamos entregar as nossas vidas nas mãos Dele e decidir conhecê-lo a cada dia, nos tornando amigas Dele : )

      Continuo no comentário abaixo....

      Excluir
    2. continuação...

      Com relação a sua filha, penso que você deve conversar com ela. De forma que ela não se assuste com você. Principalmente porque seu marido acabou batendo nela, que não é o recomendado e nem ajuda a solucionar a situação, e acredite isso é muito comum acontecer com os pais. Eles não sabem lidar com a situação e acabam batendo ou ignorando o que está acontecendo. Se for possível, converse com seu marido, mostre a ele que mesmo que ele tenha tentado parar o comportamento dela, isso acabou não ajudando, pelo contrario bater, traz medo as crianças e provavelmente ela irá continuar tendo esse comportamento só que escondido. Se o seu marido compreender, peça a ela que converse com sua filha e peça perdão. Os filhos também se sentem seguros quando os pais reconhecem que erraram e se arrependeram. Isso precisa acontecer de forma natural. Caso seu marido não compreenda, por favor, não o force para que a situação não fique mais delicada ainda.

      Depois, fale com sua filha. Primeiro converse sobre o que aconteceu com ela e seu marido, principalmente se ele não concordou em falar com ela. Pergunte como ela está se sentindo. Se sabe porque o papai bateu nela. Diga que ele estava nervoso e você sabe que lá no fundo ele não queria fazer isso. Diga a ela que quando ele perceber que a machucou com certeza ele irá pedir perdão.
      Se você perceber que esse assunto ainda deixa sua filha muito triste, não fale com ela imediatamente sobre o assunto dela se tocar. Ganhe a confiança dela para que ela também não tenha medo de você. Caso você veja que é possível falar, então diga a ela que você tem visto ela se tocar. Faça perguntas simples e curtas e permita que sua filha fale. Pergunte o que ela sente quando se toca. Pergunte como ela aprendeu. Quem ela viu fazer. Quem ensinou. Quem ela ouviu falar.
      Pode ser que através dessas perguntas você tenhas as informações necessárias para ajuda-la. Quando ela passou por terapia, isso foi diagnosticado? Lembre-se se prepare para ouvir tudo e evite ter expressões bruscas, como: Oh! Ah! Através de seu rosto sua filha vai entender se deve continuar falando ou não. Se prepare para tudo, porque se não for algo sério você não ficará assustada demais. Sempre digo isso aos pais, não somente para esse assunto.
      Acho que por enquanto posso ir até aqui. Caso você tenha mais detalhes e queria compartilhar como foi essa primeira etapa, estou a sua disposição para ajudar e te ouvir.

      Assim que acabei de ler seu comentário, eu orei e falei com Deus sobre você e sua família, para que vocês venham a conhecê-lo como Senhor e Salvador de suas vidas, caso ainda não tenham feito essa decisão e para que Ele lhes dê sabedoria. Essa é uma prática comum que faço ao ler cada comentário!
      Espero que tenha ajudado até aqui : )

      Conte comigo e estarei orando por vocês!

      Um grande abraço,

      Tamara

      Excluir
  23. Ola...
    Tbm tenho uma filha d 6 anos e q desde os 2 se masturba. Ja vi varias vezes, ja comversei, ja beiguei e ate bati e nada...e todo vez q ela fica sozinha com alguma criança ela pratica algo do genero, ou brija ma boca, ou pega em suas partes intimas. Tanto é q nem deixo ela ir pra casa das primas ou amigas...e só sai comigo. Mas na escola, nao tenho como controlar e ela ja me relatou q aconteceu la tbm, d beijar na bova dos colegas...ja nao se o q fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada por escrever. Sei que deve estar sendo dificil lidar com essa situacao. Quero enfatizar que bater, brigar ou qualquer comportamento parecido só vai piorar a situacao e fazer com que ela faca escondido. Penso que a primeira coisa que voce pode fazer e conversar com ela. Sei que nao tem sido fácil, mas se prepare para a conversa. Tente atrai-la para conversar com voce e confiar em voce. Se ela se lembra que voce bateu nela por isso
      Creio que o primeiro passo e voce pedir perdao a ela. Dependo da situacao, chame-a em outra oportunidade e entao pergunte a ela porqur faz isso. Quem a ensinou ou onde aprendeu. Espere ouvir qualquer resposta e mesmo que voce fique surpresa nao demonstre a ela. Explique que.por exemplo beijar na.boca e.somente para quando estiver grande. Ouca ela conforme.voce.for.conversando. Penso que antes.de.poder contunuarmos aqui essa.conversa voce.pode dar esses.passos. Fique a vontade parae.escrever.depois. Nao sei o seu.nome mas estarei orando por.voce para que Deus te de sabedoria. Um grande beijo, Tamara

      Excluir
  24. apaz querida.
    tenho uma filha de 17 anos que se tocava quando criança,conversei uma vez com ela e a mesma chorou muito e parou de fazer.
    depois veio outra filha agora esta com 9 anos.Eu trabalho em casa e quando percebo que esta muito quieta vou verificar e ja peguei ela se "masturbando",ja conversei ate chorei junto com ela explicando que nao pode tocar nos orgaos porque tem germes nas maos...enfim ja fiz de tudo.Agora ela esta praticando isso na escola,ela cruza as pernas e ai entao sai de si.e os amiguinhos ja estao percebendo o que eu faço por favor me ajude.estou em prantos escrevendo isso.Nao contei em momento algum para meu esposo porque sei que nao vai entender.Ela estuda em escola particular onde so tem 8 aluns na sala e este ano ira para escola publica o que devo fazer? a nao ser orar e conversar? ass. mae desesperada

    ResponderExcluir
  25. Olá! A paz!

    Imagino que deve estar sendo difícil para você porque sempre queremos ajudar nossos filhos! Antes de qualquer coisa, eu penso que como você já conversou com ela sobre isso, se torna mais fácil para tocar no assunto. Você já perguntou a ela porque começou a ter essa prática e com quem aprendeu ou onde? Muitas vezes as crianças aprendem em uma simples brincadeira com outras crianças. Como sempre digo, espere ouvir de tudo não reaja de forma punitiva ou ameaçadora. Ore antes de conversar com ela, Deus é sempre o maior interessado em nos ajudar. Deixe sua filha confortável para conversar sobre isso. A prática da masturbação infantil tem a tendência de virar um hábito nas crianças e nunca é feito com o propósito ou conotação de lascívia. As crianças percebem que é bom, embora nem saibam o que realmente estão fazendo. Tenha mais de uma conversa se necessário, o importante é que ela entenda que esse comportamento agora não é bom e que você deseja ajudá-la. Muitas vezes as crianças usam esse comportamento para "fugir"de uma situação ou realmente quando estão estressadas, infelizmente o hábito da masturbação também pode ser uma fuga. Converse com sua filha e tente verificar quando e porque ela faz. Explique você quer ajudá-la. Após conseguir algumas informações mais precisas, sugira atividades ou situações que podem ajudá-la a se distrair. Se for no mesmo horário ou período, tente mudar a rotina dela um pouco, Chame a atenção dela para outra coisa. Como não tenho tantas informações, penso que isso pode ser o início. Acima de tudo, demonstre que você a ama e quer ajudá-la. Jamais e em hipótese alguma, bata nela, coloque-a de castigo ou discipline-a de alguma forma devido a essa prática. Ela precisa do seu amor, da sua graça e sua ajuda! Ore e continue pedindo ajuda e sabedoria ao Senhor.
    Estarei orando por você. Se precisar, estou por aqui!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir